TODOS OS POEMAS AQUI POSTADOS TÊM DIREITOS DE AUTOR. É EXPRESSAMENTE PROIBIDO COPIAR OU COLAR QUALQUER TEXTO AQUI EXPOSTO SEM A AUTORIZAÇÃO PRÉVIA DO AUTOR.

sábado, 31 de julho de 2021

EMOÇÕES


Estado de alma que nos expõe ao belo, e à dor

nos torna vulneráveis à solidão, ao amor

nos faz balançar, entre o certo...e o incerto

se nem sempre o que nos chega tem beleza...

mesmo assim, será melhor que a tristeza

de nada sentir, nada viver...ser um deserto! 


Mário Margaride 




quinta-feira, 29 de julho de 2021

TEUS LÁBIOS


Os teus lábios são loucos viajantes

que gostam de perder-se no caminho

voltar atrás, recomeçar, devagarinho

como se fossem dois principiantes

e eu, como viagem por fazer

vou-me alongando nesse teu perder... 


Mário Margaride 


segunda-feira, 26 de julho de 2021

NÃO CHORO


Não choro…

são os meus olhos que se afogam em mágoa

se uma dor ou uma tristeza

se desfaz em água

e lavando-me a alma

vem desaguar como corrente

no meu olhar

esta foz ardente

que não a prende

nem aprende…

a ser a represa…

dos meus rios interiores.


Mário Margaride 


sábado, 24 de julho de 2021

MINHA GALERA


Meu sonho se enfeita de ilusão

seguindo o ritual que o alimenta

desse sonho emerge a erosão

que a fantasia o veste, e o sustenta.


Corro atrás do sonho e da quimera

busco entre a escuridão, uma luz 

navego em alto mar, minha galera

neste mar de tempestade, que a conduz.


Furacões, maremotos, enfrentei

corsários, piratas, combati

porém minha galera, aportarei

em que cais, não sei...ainda não o vi.


Mário Margaride 


quarta-feira, 21 de julho de 2021

TEU CORPO


Teu corpo...

meu doce devaneio

onde semeio o sonho

e lanço à solta o desejo

num longo e calmo passeio

fazendo dos meus dedos

os meus passos

dos teus desejos

os meus doces cansaços.


Teu corpo é o campo

tua pele, é a paisagem

tua sensibilidade o eco...

toda tu...uma miragem.


Mário Margaride 


segunda-feira, 19 de julho de 2021

RESISTINDO


Parece quase impossível, ser feliz

sendo como sou, sem artifícios 

mas isso exige de mim, ser aprendiz

da vida resistindo, e aos seus vícios.


Num mundo que modela a nossa imagem

em que a dificuldade, tenta à cedência

cada dia, é quase um ato de coragem

assente na lucidez, e resistência.


Mário Margaride 


sexta-feira, 16 de julho de 2021

SILÊNCIO


Como é bom o silêncio

quando prefiro

estar a sós comigo

e me retiro

para o meu mundo interior

onde sozinho…

me aquieto

me abrigo

sem quaisquer defesas

nem pudor

me revelo

me revejo

me digo…

me desdigo.


Como é mau o silêncio

quando te chamo

e te peço que me ajudes

te reclamo

o apoio

o ombro

o abraço…

e com ar de embaraço

me desiludes

deixando-me um rasto de sargaço

sem vida

ressequido… 

como as tuas atitudes.


Mário Margaride 




quarta-feira, 14 de julho de 2021

IMAGEM NO PAPEL


Por mim passaram escolas de pintores

nas quais me inspirei imagens belas

pintei tão lindos quadros, lindas cores

mas limitei-me tão- só, a criar telas.


Na pedra dura que cede ao viril traço

do escultor que assim, tem tal visão

fica apenas um modelo, a escropo e maço

em que se supõe estar toda a minha, dimensão.


Na arte escrita, invento as palavras

umas feitas de aço, e outras de mel

mas são somente descrições frustradas

não passam de uma imagem...no papel.


Mário Margaride 


segunda-feira, 12 de julho de 2021

HÁ NO TEU CORPO


É fria a noite

é longa a madrugada

denso o silêncio 

pesada a solidão

de ferro a lua

de pedra, a escuridão... 

tu chegas

e é de seda a alvorada!


Há no teu corpo

um halo que me incendeia

uma luz que se insinua

e vem ao meu encontro

aqui, onde te imagino sempre nua.


O teu jeito de amante

é diamante lapidado

e contrastado

ao longo do tempo

por todos os olhares

que me precederam.


Mário Margaride 


sexta-feira, 9 de julho de 2021

CHÃO DA TUA MÃO


Como folha que vai dançando ao vento

e alongando a surpresa do chão que vai tocar

é assim a tua mão, em qualquer tempo

quando se faz a extensão do teu olhar.


Suspendendo em mim, qualquer certeza

alonga, intensifica tanto a surpresa

que não suporto a espera e quero voar

ir ao encontro da mão, e então trocar

o sentido ao movimento

e apressar o momento

em que serei o chão...

da tua mão.


Mário Margaride 


quarta-feira, 7 de julho de 2021

ENVOLVE-ME


Envolve-me nas tuas ondas de ternura

leva-me a navegar nesse teu mar

envolve-me na tua luz, no teu calor

debaixo desse teu manto, de encantar.


Envolve-me numa montanha de delícias…

por onde docemente irei trepar

envolve-me nos teus desejos inebriantes

que dentro de mim ardem, sem parar.


Envolve-me nas tuas ondas de carícias…

na espuma do amor, e da paixão

cobre-me de beijos cintilantes

que me transportam para outra…dimensão.


Mário Margaride 


domingo, 4 de julho de 2021

AMIGOS DA ONÇA


As subtis artimanhas

feitas em medidas certas

poderão surtir efeito

se não forem descobertas


Engenhosas e obscuras

feitas com habilidade

podem aparentar efeito

se não se souber a verdade


Aqueles que nós julgamos

ser amigos e honestos

depressa descobriremos

que são traidores indigestos


Se a vaidade para alguns

um dia pagasse imposto

eles pouco se importavam

de ter carimbos no rosto


Amigos desse calibre

há por aí, aos montões!

temos que estar de olho aberto

e atentos aos aldrabões


Esses amigos da onça

sempre à espreita e atentos

cuidado, muito cuidado!

podem causar-nos tormentos. 


Mário Margaride



sexta-feira, 2 de julho de 2021

RUMOS


Percorri a estrada da vida e já cansado

de tanto caminhar, quase esgotei

porém, sem desistir, continuei

viajando, com a esperança, ao meu lado.


De tanto percorrer, me habituei

e por onde andei, já me esqueci

de todas as estradas que percorri

não esqueço os tormentos, que passei.


Enfrentei tempestades e marés…

naveguei por entre tormentas e adamastores

em busca de outros mares, de outros amores 

andei, de porto em porto, aos "pontapés"…


Porém, quando terra firme avistei

julgando a bom porto ter chegado

olhei á minha volta, e então pasmado

não estava, onde julgava...me enganei.


Mário Margaride