TODOS OS POEMAS AQUI POSTADOS TÊM DIREITOS DE AUTOR. É EXPRESSAMENTE PROIBIDO COPIAR OU COLAR QUALQUER TEXTO AQUI EXPOSTO SEM A AUTORIZAÇÃO PRÉVIA DO AUTOR.

domingo, 31 de outubro de 2021

LÁ FORA A CHUVA CAI


Lá fora a chuva cai

os ventos sopram de rajada

arrastando consigo a tempestade

neste pedaço de terra

onde a cobiça impera

em intenso desvario.  


Velhos sinais

emergem no horizonte da incerteza

onde a ganância se perfila

pelo que resta dos despojos

num rodopio sem fim.


Lá fora a chuva cai 

e os ventos...

continuam a soprar

não se sabe a direção 

apenas sabemos

que os Lobos

continuam a uivar.


Mário Margaride

31-10-2021


quinta-feira, 28 de outubro de 2021

PORQUÊ O BARULHO?


Para quê o silêncio?

Para quê falar?

Se as palavras não forem corrosivas

se o barulho não nos fizer acordar.


Para quê o barulho?

Para quê a revolta?

Se o barulho se mantém silenciado

se nos revoltarmos

sem nos revoltar. 


Para quê o barulho?

Para quê falar?

Se o barulho do silêncio ficar mudo

se o barulho das palavras...

se calar. 


Para quê o barulho? 

Para quê lutar? 

Se os corpos feridos na luta

as feridas não podem curar. 


Para quê o barulho? 

Para quê continuar? 

Se os abutres pairam sobre nós

esperando os despojos...

devorar. 


Para quê o barulho? 

Para quê gritar? 


Mário Margaride 




Feliz fim de semana! 

Beijos e abraços! 

segunda-feira, 25 de outubro de 2021

SEJAM ÁRVORES OU PESSOAS


Vai um tronco à deriva na corrente

resto de árvore pujante, silenciosa

que, a um vento forte ou mão ardilosa

não resistiu e caiu, tal como gente.


Qualquer entulho, sendo proeminente

marca-lhe o curso na água alterosa

da árvore, antes firme, mas airosa

resta um náufrago perdido e indigente.


É assim, sejam árvores ou pessoas

não basta que sejam retas, sejam boas

para enfrentar o vento ou o ardiloso. 


Quanto melhores são, maior é a cobiça

despertada na mente que se encarniça

em atirá-las para terreno pantanoso.


Mário Margaride 

25-10-2021




sábado, 23 de outubro de 2021

NOS BRAÇOS DO TEU CARINHO


Fecho os olhos...

e deixo-me envolver

nos braços do teu carinho

onde me embalas...


No regaço do teu amor

encosto a cabeça com ternura

nos teus seios cor de cereja

onde adormeço enebriado

pelo torpor do teu calor... 


Os teus lábios...

um poço de mel

onde me delicio

na doçura dos teus beijos... 


Tuas mãos...

fofo veludo

quando afagam docemente

o meu corpo

que estremece!


Como é bom...

assim adormecer

nos braços longos da tua ternura

e acordar...

num mar imenso de prazer.


Mário Margaride 



Feliz fim de semana!
Beijos e abraços! 

quinta-feira, 21 de outubro de 2021

NÃO SÃO APENAS PALAVRAS


As palavras que escrevo

não são apenas palavras

sem sentido ou sem razão 

são a voz que em mim existe

quer esteja feliz ou triste

elas são sua expressão


São o sentir do poeta 

sua missão, sua meta

é a sua condição

essas palavras que escrevo

têm em si o relevo

que é a voz do coração.


Mário Margaride

21-10-2021 


segunda-feira, 18 de outubro de 2021

EFEITO BOOMERANG


Há coisas fundamentais

que não podemos esquecer

se ao outro, mal fizermos

o mal a nós, virá ter


Demos as voltas que demos

pensando que nada acontece

mas a realidade nos mostra 

que o ricochete acontece


Será mais cedo ou mais tarde

de forma direita, ou torta

mas podem ter a certeza

que o efeito boomerang

um dia nos bate à porta.


Mário Margaride

17-10-2021


sexta-feira, 15 de outubro de 2021

COMO GOSTARIA...


Como gostaria...

de passar as mãos pela tua pele

os dedos pelos teus cabelos

brincar docemente com o teu corpo

ouvindo o som da tua voz

num sussurro... 

suave e doce

e ficar ali...

nos teus braços

entregue às tuas carícias

com os lábios entreabertos

esperando que a tua boca... 

toque a minha

num terno e doce beijo

Depois... 

dizer baixinho ao teu ouvido

amo-te... 


Mário Margaride 

15-10-2021

                                           Feliz fim de semana! 

                                              Beijos e abraços! 


quarta-feira, 13 de outubro de 2021

CORPOS DE DESEJO...


Abrem-se as portas

ouvem-se os passos

murmúrios de amor

num manto de abraços 


Roupas ao vento 

desnudam o ardor

sem medo, sem tempo... 

emerge o fervor! 


Enrrolam-se os corpos 

em forte emoção 

as bocas se beijam 

ardentes, se desejam

na cama, e no chão


É o amor, é o desejo

que se unem num beijo...

em constante fusão. 



Mário Margaride

12-10-2021


segunda-feira, 11 de outubro de 2021

SILÊNCIOS...


O silêncio me invade... 

num barulho ensurdecedor

nesta solidão que me consome

não me deixando dormir... 

O vazio me absorve

corroendo-me as entranhas

deste silêncio sepulcral...

que me atormenta

e me devora. 

Deito-me na cama

e tento dormir

mas o barulho do silêncio... 

fere-me os tímpanos

impedindo-me de ouvir

a voz serena

que habita em mim. 

Por fim...

talvez por cansaço 

o barulho se cala

e o sono... 

me agarra no seu seio

onde adormeço

silenciosamente... 

nos braços da madrugada. 


Mário Margaride 

11-10-2021






sexta-feira, 8 de outubro de 2021

NOSSO ENCONTRO


Passavas devagar

como se fosses, sem coragem

fazer, a contra gosto, uma viagem

à falta de razão porque parar. 


A tua sombra recortou-se no meu chão

alongou-se em forma e tempo

ganhou corpo, ganhou voz

e, desde então

aguardamos o momento

em que o sol a pino, sobre nós

reduza as nossas sombras a um ponto

por ser tão certo e estreito o nosso encontro

que nem em sombra, voltaremos a estar sós. 


Mário Margaride 

                                         Feliz fim de semana! 

                                            Beijos e abraços! 


quarta-feira, 6 de outubro de 2021

CONSTANTE DESATINO


Não fiz tudo que podia 

nem tive em mim lucidez

para acender a tal luz 

onde a ignorância reluz

nas sombras da estupidez


Já subi altas montanhas

desci ao fundo do mar

andei por estradas desertas

em busca das coisas certas

sem nunca as encontrar


Nesta procura incessante

neste difícil trajeto... 

vou trilhando o meu caminho

em constante desatino

buscando o destino certo.


Mário Margaride

06-10-2021


domingo, 3 de outubro de 2021

DEAMBULANDO...


Navegar nas incertezas

neste mar de emoções

emergem dentro de nós

constantes contradições 


São os ventos, são os mares

são as estradas desertas

que nos conduzem sem tempo

para fazermos coisas certas 


São os sóis que nos aquecem

são as chuvas que nos molham

são os sinais que orientam

são os olhos que nos olham


Nesta estrada onde a incerteza

de certa, tem pouca margem 

vamos seguindo caminho

sem sabermos o destino

nem quando acaba a viagem... 


Mário Margaride 

03-10-2021



sexta-feira, 1 de outubro de 2021

CHUVA


Chuva cai, cai de mansinho

ora fraca, ora mais forte

nem sempre a chuva cai certa

tal qual a nossa sorte


Se a chuva pudesse ouvir

dizia-lhe, por favor

ó chuva, não caias hoje

quero ir ter com o meu amor


Se a chuva não me ouvir

não faz mal, não me importa

pode ser que esse amor... 

me venha bater à porta.


Mário Margaride

01-10-2021

Feliz fim de semana!
Beijos e abraços!