TODOS OS TEXTOS AQUI POSTADOS TÊM DIREITOS DE AUTOR. É EXPRESSAMENTE PROIBIDO COPIAR OU COLAR QUALQUER TEXTO AQUI EXPOSTO SEM O CONSENTIMENTO DO AUTOR.

domingo, 14 de julho de 2024

ESSE UM


Juntos…

fomos um

que nunca fomos

nem nunca seremos

Talvez um dia…

um dia qualquer

de qualquer tempo…

encontre esse um

que nunca tive

em tempo algum

de nenhum lugar
de tempo nenhum.

Mário Margaride-In O Eco das Palavras-2007


sexta-feira, 12 de julho de 2024

SAUDADES DO AMOR AUSENTE


Na quietude das noites estreladas

a saudade se aninha no meu peito

como um pássaro que busca o abrigo

mas encontra apenas o vazio.

 

Lembro-me dos teus olhos, profundos

que refletiam o céu e o mar

e da tua voz, suave como o vento

que sussurrava promessas de eternidade.

 

Agora, só me restam memórias

fragmentos de momentos compartilhados

como pedaços de um quebra-cabeça incompleto

que busco encaixar na solidão.

 

A saudade é um rio que corre sem fim

levando consigo sonhos e desejos

e eu, na margem oposta, espero

com o coração aberto e a alma em prece.

 

Ah! Amor ausente, és como uma estrela distante

cuja luz ainda alcança os meus olhos

mas o calor não aquece mais a minha pele

apenas deixa marcas na escuridão.

 

Que a saudade se transforme em poesia

e que cada verso seja um beijo lançado ao vento

na esperança de que, um dia, o destino nos reúna

e a ausência se torne, um abraço apertado. 


Mário Margaride


                                               Feliz fim de semana!

Beijos e abraços!


segunda-feira, 8 de julho de 2024

ACABEM!

 Acabem as mordaças em seres calados

até perante a ofensa
qual animal que não pensa
por isso, são tão regrados.

Acabem as vendas em olhos fechados
cegos para o que os rodeia
envoltos na cega teia
por isso, são tão regrados.

Acabem as amarras em condenados
serviçais de corpo e alma
a quem a chicote acalma
por isso, são tão regrados.

Acabem os tiques inúteis, estéreis
curros e guias de débeis
que nunca ousarão ir além.

Acabem! Pois castram a nossa essência
e numa afronta à decência
reduzem-nos a ninguém.

Mário Margaride, In-O Eco das Palavras-2007 


sexta-feira, 5 de julho de 2024

RAÍZES NEFASTAS

 

As raízes da ignorância não secam

crescem em abundância em solo fértil

que invadem a floresta da estupidez 

seus ramos abraçam os incautos

sempre, a todo o momento, mais uma vez. 


E assim a floresta vai crescendo

as ervas daninhas proliferam

no chão onde alastra a aridez

e assim vai crescendo o arvoredo

com ramos de enorme insensatez. 


E neste desmando em que se encontra

a floresta onde se semeia a tacanhez

as raízes vão crescendo sem controlo

e se espalha pelo chão a estupidez...


Mário Margaride 

03-07-2024




Feliz fim de semana, amigos e amigas!
Beijos e abraços!

domingo, 30 de junho de 2024

CEGUEIRA DA INTOLERÂNCIA


Num mundo de cores e luz

onde cada ser humano sua sombra conduz

há quem feche os olhos, recuse ver

a beleza única do diferente ser.

 

A intolerância

é véu da ignorância que cega o coração

corta a esperança

de um convívio pacífico

uma aliança

entre seres diferentes

envoltos numa dança.

 

Mas que triste é o dia

quando o amor perde

para a fria sombra da intolerância

que desvia a humanidade

da sua verdadeira via.

 

Que possamos abrir nossos olhos e ver

que cada pessoa tem algo a oferecer

é na diferença, não no medo

mas o saber, que juntos

podemos mais crescer.

 

Afinal

somos todos passageiros

neste vasto universo de mistérios

e a intolerância é só um critério

para nos separar do amor

sincero e verdadeiro.

 

Mário Margaride

26-06-2024